domingo, 19 de maio de 2013

50 Tons de cinza (Capítulo 11)


Existem vários papéis no interior do envelope. Eu os pego, com o coração disparado, e sento na cama e começo a ler.


CONTRATO

         No dia___________ de 2011 ("data de início")

ENTRE

         O SR. CHRISTIAN GREY, com domicilio no Escala 301, Seattle, 98889 Washington, ("o Dominante")

         E A SRTA. ANASTÁSIA STEELE, com domicilio no SW Green Street 1114, apartamento 7, Haven Heights, Vancouver, 98888 Washington ("a Submissa")

AS PARTES ACORDAM O SEGUINTE

         1. A seguir estão os termos de um contrato vinculativo entre o Dominante e a Submissa.

         TERMOS FUNDAMENTAIS

         2. O propósito fundamental deste contrato é permitir que a Submissa explore sua sensualidade e seus limites de forma segura, com o devido respeito e cuidar de suas necessidades, seus limites e seu bem-estar.

         3. O Dominante e a Submissa acordam e admitem que tudo o que aconteça sob os termos deste contrato será consensual e confidencial, e estará sujeito aos limites acordados e aos procedimentos de segurança que se contemplam neste contrato. Podem acrescentar-se limites e procedimentos de segurança adicionais.

         4. O Dominante e a Submissa garantem que não padecem de infecções sexuais nem enfermidades graves, incluindo HIV, herpes e hepatite, entre outras. Se durante a vigência do contrato (como se define abaixo) ou de qualquer ampliação do mesmo, uma das partes for diagnosticada ou tiver conhecimento de padecer de alguma destas enfermidades, compromete-se a informar à outra imediatamente e em todo caso, antes que se produza qualquer tipo de contato entre as partes.

         5. É preciso cumprir as garantias e os acordos anteriormente mencionados (e todo limite e procedimento de segurança adicional acordado na cláusula 3). Toda infração invalidará este contrato com caráter imediato e ambas as partes aceitam assumir totalmente ante a outra as consequências da infração.

         6. Todos os pontos deste contrato devem ler-se e interpretar-se à luz do propósito e os términos fundamentais estabelecidos nas cláusulas 2-5.

         FUNÇÕES

         7. O Dominante será responsável pelo bem-estar e pelo treinamento, a orientação e a disciplina da Submissa. Decidirá o tipo de treinamento, a orientação e a disciplina, e o momento e o lugar de administrá-los, atendendo aos termos acordados, os limites e os procedimentos de segurança estabelecidos neste contrato ou acordado ainda nos termos da cláusula 3 acima.

         8. Se em algum momento o Dominante não mantiver os termos acordados, os limites e os procedimentos de segurança estabelecidos neste contrato ou acordados na cláusula 3, a Submissa tem direito a finalizar este contrato imediatamente e a abandonar seu serviço ao Dominante sem prévio aviso.

         9. Atendendo a esta condição e às cláusulas 2-5, a Submissa tem que obedecer em tudo ao Dominante. Atendendo aos termos acordados, os limites e os procedimentos de segurança estabelecidos neste contrato ou acordados na cláusula 3, deve oferecer ao Dominante, sem perguntar nem duvidar, todo o prazer que este lhe exija, e deve aceitar, sem perguntar nem duvidar, o treinamento, a orientação e a disciplina em todas suas formas.

         INÍCIO E VIGÊNCIA

         10. O Dominante e a Submissa assinam este contrato na data de início, conscientes de sua natureza e comprometendo-se a acatar suas condições sem exceção.

         11. Este contrato terá efeito durante um período de três meses a partir da data de início ("vigência do contrato"). Ao expirar a vigência, as partes comentarão se este contrato e o disposto por eles no mesmo, são satisfatórios e se estiverem satisfeitas as necessidades de cada parte. Ambas as partes podem propor ampliar o contrato e ajustar os termos ou os acordos que nele se estabelecem. Se não se chegar a um acordo para ampliá-lo, este contrato concluirá e ambas as partes serão livres para seguir sua vida separados.

         DISPONIBILIDADE

         12. A Submissa estará disponível para o Dominante desde sexta-feira à noite até o domingo pela tarde, todas as semanas durante a vigência do contrato, com as horas a especificar pelo Dominante ("horas atribuídas"). Podem acordar mutuamente por mais horas, atribuídas como adicionais.

         13. O Dominante se reserva o direito a rechaçar o serviço da Submissa em qualquer momento e pelas razões que sejam. A Submissa pode solicitar sua liberação em qualquer momento, liberação que ficará a critério do Dominante e estará exclusivamente sujeito aos direitos da Submissa contemplados nas cláusulas 2-5 e 8.

         LOCALIZAÇÃO

         14. A Submissa estará disponível às horas atribuídas e às horas adicionais, nos lugares que determine o Dominante. O Dominante concorrerá com todos os custos de viagem que incorra a Submissa com este fim.

         PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

         15. As duas partes discutem e acordam as seguintes prestações de serviços, e ambas deverão as cumprir durante a vigência do contrato. Ambas as partes aceitam que podem surgir questões não contempladas nos termos deste contrato de prestação de serviços, e que determinadas questões poderão renegociar-se. Nestas circunstâncias, poderão propor-se cláusulas adicionais a modo de emenda. Ambas as partes deverão acordar, redigir e assinar toda cláusula adicional ou emenda, que estará sujeita aos termos fundamentais estabelecidos nas cláusulas 2-5.

         DOMINANTE

         15.1. O Dominante deve priorizar em todo momento a saúde e a segurança da Submissa. O Dominante em nenhum momento exigirá, solicitará, permitirá nem pedirá à Submissa que participe das atividades detalhadas no Apêndice 2 ou em toda atividade que qualquer das duas partes considere insegura. O Dominante não levará a cabo, nem permitirá que se leve a cabo, nenhuma atividade que possa ferir gravemente à Submissa ou pôr em perigo sua vida. As restantes sub-partes desta cláusula 15 devem ler-se atendendo a esta condição e aos acordos fundamentais das cláusulas 2-5.

         15.2. O Dominante aceita o controle, o domínio e a disciplina da Submissa durante a vigência do contrato. O Dominante pode utilizar o corpo da Submissa em qualquer momento durante as horas atribuídas, ou em horas adicionais acordadas, da maneira que considere oportuno, no sexo ou em qualquer outro âmbito.

         15.3. O Dominante oferecerá a Submissa o treinamento e a orientação necessários para servir adequadamente ao Dominante.

         15.4. O Dominante manterá um entorno estável e seguro para que a Submissa possa levar a cabo suas obrigações para servir ao Dominante.

         15.5. O Dominante pode disciplinar à Submissa quanto seja necessário para assegurar-se de que a Submissa entenda totalmente seu papel de submissão ao Dominante e para desalentar condutas inaceitáveis. O Dominante pode açoitar, surrar, dar chicotadas e castigar fisicamente à Submissa se o considerar oportuno por motivos de disciplina, por prazer ou por qualquer outra razão, que não está obrigado a expor.

15.6. No treinamento e na administração de disciplina, o Dominante garantirá que não fiquem marcas no corpo da Submissa, nem feridas que exijam atenção médica.

         15.7. No treinamento e na administração de disciplina, o Dominante garantirá que a disciplina e os instrumentos utilizados para administrá-la, sejam seguros, não os utilizará de maneira que provoquem danos sérios e em nenhum caso poderá transpassar os limites estabelecidos e detalhados neste contrato.

         15.8. Em caso de enfermidade ou ferida, o Dominante cuidará da Submissa, vigiará sua saúde e sua segurança, e solicitará atenção médica quando o considerar necessário.

         15.9. O Dominante cuidará de sua própria saúde e procurará atenção médica quando for necessário para evitar riscos.

         15.10. O Dominante não emprestará sua Submissa a outro Dominante.

         15.11. O Dominante poderá sujeitar, algemar ou atar a Submissa em todo momento durante as horas atribuídas ou em qualquer hora adicional por qualquer razão e por compridos períodos de tempo, emprestando a devida atenção à saúde e a segurança da Submissa.

         15.12. O Dominante garantirá que todo o equipamento utilizado para o treinamento e a disciplina se mantenha limpo, higiênico e seguro em todo momento.

 SUBMISSA

         15.13. A Submissa aceita o Dominante como seu dono e entende que agora é de sua propriedade e que está ao seu dispor quando o Dominante lhe agrade durante a vigência do contrato em geral, mas especialmente nas horas atribuídas e nas horas adicionais acordadas.

         15.14. A Submissa obedecerá às normas estabelecidas no Apêndice 1 deste contrato.

         15.15. A Submissa servirá ao Dominante em tudo aquilo que o Dominante considere oportuno e deve fazer todo o possível por agradar ao Dominante em todo momento.

         15.16. A Submissa tomará medidas necessárias para cuidar de sua saúde, solicitará ou procurará atenção médica quando a necessitar, e em todo momento manterá informado o Dominante de qualquer problema de saúde que possa surgir.

         15.17. A Submissa garantirá que toma anticoncepcionais orais, e que toma como e quando é devido para evitar ficar grávida.

         15.18. A Submissa aceitará sem questionar todas e cada uma das ações disciplinadoras que o Dominante considere necessárias, e em todo momento recordará seu papel e sua função ante o Dominante.

         15.19. A Submissa não se tocará nem se proporcionará prazer sexual sem a permissão do Dominante.

         15.20. A Submissa se submeterá a toda atividade sexual que exija o Dominante, sem duvidar e sem discutir.

         15.21. A Submissa aceitará açoites, surras, pauladas, chicotadas ou qualquer outra disciplina que o Dominante administrar, sem duvidar, perguntar nem queixar-se.

         15.22. A Submissa não olhará diretamente nos olhos ao Dominante exceto quando lhe ordenar. A Submissa deve abaixar os olhos, guardar silêncio e mostrar-se respeitosa em presença do Dominante.

         15.23. A Submissa se comportará sempre com respeito para o Dominante e só se dirigirá a ele como senhor, senhor Grey ou qualquer outro apelativo que lhe ordene o Dominante.

         15.24. A Submissa não tocará no Dominante sem seu rápido consentimento.


ATIVIDADES

         16. A Submissa não participará de atividades ou atos sexuais que qualquer das duas partes considere inseguras nem nas atividades detalhadas no Apêndice 2.

         17. O Dominante e a Submissa comentaram as atividades estabelecidas no Apêndice 3 e fazem constar por escrito no Apêndice 3 seu acordo a respeito.

         PALAVRAS DE SEGURANÇA

         18. O Dominante e a Submissa admitem que o Dominante pode solicitar à Submissa ações que não possam levar-se a cabo sem incorrer em danos físicos, mentais, emocionais, espirituais ou de outro tipo no momento em que lhe solicitam. Neste tipo de circunstâncias, a Submissa pode utilizar uma palavra de segurança. Serão incluídas duas palavras de segurança em função da intensidade das demandas.

         19. Será utilizada a palavra de segurança "Amarelo" para indicar ao Dominante que a Submissa está chegando ao limite da resistência.

         20. Será utilizada a palavra de segurança "Vermelho" para indicar ao Dominante que a Submissa já não pode tolerar mais exigências. Quando se disser esta palavra, a ação do Dominante cessará totalmente, com efeito imediato.

         CONCLUSÃO

         21. Os abaixo assinantes têm lido e entendido totalmente o que estipula este contrato.

Aceitamos livremente os termos deste contrato e com nossa assinatura damos nossa conformidade.


        
                  ___________________________________________
Dominante: Christian Grey

Data:



___________________________________________
Submissa: Anastásia Steele

Data:


 APÊNDICE 1

         NORMAS

         Obediência:

         A Submissa obedecerá imediatamente todas as instruções do Dominante, sem duvidar, sem reservas e de forma expedita. A Submissa aceitará toda atividade sexual que o Dominante considere oportuna e prazerosa, exceto as atividades contempladas nos limites infranqueáveis (Apêndice 2). O fará com entusiasmo e sem duvidar.

         Sono:

         A Submissa garantirá que dorme no mínimo oito horas diárias quando não estiver com o Dominante.

         Comida:

         Para cuidar de sua saúde e seu bem-estar, a Submissa comerá frequentemente os mantimentos incluídos em uma lista (Apêndice 4). A Submissa não comerá entre horas, à exceção de fruta.
        
Roupa:

         Durante a vigência do contrato, a Submissa só vestirá roupa que o Dominante tenha aprovado. O Dominante oferecerá à Submissa um orçamento para roupas, que a Submissa deve utilizar. O Dominante acompanhará à Submissa às compras de roupas quando for necessário. Se o Dominante assim o exigir, enquanto o contrato esteja vigente, a Submissa ficará com os adornos que lhe exija o Dominante, em sua presença ou em qualquer outro momento que o Dominante considere oportuno.

         Exercício:

         O Dominante proporcionará à Submissa um treinador pessoal quatro vezes por semana, em sessões de uma hora, a horas convencionadas pelo treinador pessoal e a Submissa. O treinador pessoal informará ao Dominante dos avanços da Submissa.

         Higiene pessoal e beleza:

         A Submissa estará limpa e depilada em todo momento. A Submissa irá a um salão de beleza eleita pelo Dominante quando este o ditar e se submeterá a qualquer tratamento que o Dominante considere oportuno. O Dominante concorrerá com todos os gastos.


Segurança pessoal:

         A Submissa não beberá em excesso, não fumará, não tomará substâncias psicotrópicas, nem correrá riscos desnecessários.

         Qualidades pessoais:

         A Submissa só manterá relações sexuais com o Dominante. A Submissa se comportará em todo momento com respeito e humildade. Deve compreender que sua conduta influi diretamente na do Dominante.

Será responsabilizada por eventuais delitos, desmandos e os excessos cometidos quando não na presença do Dominante.

Ao descumprimento de qualquer das normas anteriores será imediatamente castigada, e o Dominante determinará a natureza do castigo.


         APÊNDICE 2

         Limites Rígidos

         Sem atos com fogo.
         Sem atos com urina, ou defecção e seus produtos.
         Sem atos com agulhas, facas, perfurações e sangue.
         Sem atos envolvendo instrumentos médico ginecológico.
         Sem atos com crianças ou animais.
         Sem atos que deixem marcas permanentes na pele.
         Sem atos relativos ao controle da respiração.
Sem atividade que implique contato direto com corrente elétrica     (tanto alternada como contínua), fogo ou chamas no corpo.

APÊNDICE 3

         Limites Suaves

         A discutir e acordar por ambas as partes:
         Qual dos seguintes atos sexuais são aceitáveis para a Submissa?

         • Masturbação
         • Felacão
• Cunnilingus
• Penetração vaginal
         • Fisting vaginal
         • Penetração anal
         • Fisting anal

A ingestão de sêmen é aceitável para a Submissa?
         O uso de brinquedos sexuais é aceitável para a Submissa?
         • Vibradores
         • Consoladores
         • Plugues anais
         • Outros brinquedos vaginais/anais

         A Submissa aceita o uso de Bondage?
         • Mãos na frente
         • Mãos atrás
         • Tornozelos
         • Joelhos
         • Cotovelos
         • Pulsos aos tornozelos
• Barras de amarração
• Amarrada ao mobiliário
• Vendar
         • Colocação de mordaça
         • Bondage com cordas
         • Bondage com fita adesiva
         • Bondage com algemas de couro
         • Suspensão
         • Bondage com algemas de metal/restrições

Quanto de dor a Submissa está disposta a experimentar?
         Onde 1 equivale a que gosta muito e 5, a que lhe desgosta muito:
         1 - 2 - 3 - 4 - 5

 Aceita a Submissa as seguintes forma de dor/castigo/disciplina?
Onde 1 é para nenhum e 5 é para grave: 1 - 2 - 3 - 4 - 5
• Açoites
         • Açoites com pá
         • Chicotadas
         • Açoites com vara
         • Mordidas
         • Pinças para mamilos
         • Pinças genitais
         • Gelo
         • Cera quente
         • Outros tipos/métodos de dor


Caramba. Nem sequer tenho forças para dar uma olhada à lista dos mantimentos. Engulo em seco, tenho a boca seca, e volto a ler.
Minha cabeça está zumbindo. Como vou aceitar tudo isto? E aparentemente é em meu benefício, para que explore minha sensualidade e meus limites de forma segura... oh, por favor! É de fazer rir. Servi-lo e obedecê-lo em tudo. Em tudo! Sacudo a cabeça com descrença. Na realidade, os votos de matrimônio não utilizam palavras como... obediência? Desconcerta-me. Os casais ainda dizem isso? Só três meses, por isso houve tantas? Não ficam muito tempo? Ou já tiveram bastante em três meses? Todos os fins de semana? É muito. Não poderei ver Kate nem os amigos que possa fazer em meu novo trabalho, caso eu encontre um trabalho... Talvez eu devesse reservar um fim de semana ao mês só para mim. Talvez, quando tiver minha menstruação, parece... prático.
É meu dono! Terei que fazer o que lhe agrade! Caramba.
         Estremeço ao pensar que ele poderá me açoitar ou me amarrar. Talvez os açoites não sejam tão graves, embora humilhantes. E me amarrar? Bom, já me amarrou as mãos. Isso foi... bem, foi excitante, muito excitante, assim possivelmente tampouco seja tão grave. Não me emprestará a outro Dominante... maldito seja, é obvio que não. Seria totalmente inaceitável. Por que eu ainda estou pensando sobre isso?
         Não posso olhá-lo aos olhos. Que estranho! É a única maneira de ter alguma possibilidade de saber o que está pensando. Mas a quem intento enganar? Nunca sei o que está pensando, mas eu gosto de olhá-lo nos olhos. São bonitos, cativantes, inteligentes, profundos e escuros, escuros com segredos dominantes. Penso em seu olhar ardente e aperto minhas coxas, eu estremeço.
         E não posso tocá-lo. Bem, isto não me surpreende. E essas estúpidas regras... Não, não, não posso. Cubro o rosto com as mãos. Isso não é a maneira de manter uma relação. Preciso dormir um pouco. Estou fisicamente esgotada. As travessuras físicas que pratiquei nas últimas vinte e quatro horas foram, francamente, exaustivas. E mentalmente... Oh, homem, isso é muito para levar a bordo. Como diria José, uma autêntica fodida mental. Possivelmente pela manhã, isso não me pareça uma brincadeira de mau gosto.
         Levanto-me e me troco rapidamente. Talvez devesse pedir emprestado para Kate o seu pijama rosa de flanela. Eu estou precisando do contato com algo fofinho e tranquilizador. Vou para o banheiro para escovar os dentes, vestindo camiseta e calças curtas de pijama.
         Eu me olho no espelho do banheiro. Eu não posso considerar isso seriamente...
Meu subconsciente parece sensato e racional, e não sarcástico, como está acostumado a ser. A deusa interior não deixa de saltitar e bater palmas como uma menina de cinco anos. Por favor, vamos fazer isso... se não, acabaremos sozinhas, com um montão de gatos, e suas novelas como companhia.
         O único homem que já me atraiu, chega com um maldito contrato, um chicote e um sem-fim de regras e cláusulas. Bem, ao menos consegui o que queria este fim de semana. Minha deusa interior deixa de saltar e sorri com serenidade. OH, sim... articula com os lábios, acenando para mim presunçosamente.
Ruborizo ao recordar de suas mãos e sua boca sobre mim, seu corpo dentro do meu. Fecho os olhos, eu sinto a força familiar e deliciosa dos meus músculos de baixo, profundo. Eu quero fazer isso de novo e de novo. Talvez se eu só assinasse para o sexo... ele aceitaria isso? Suspeito que não.
         Eu, submissa? Talvez eu venha através dessa forma. Talvez eu o tenha enganado na entrevista. Sou tímida, sim... mas submissa? Eu deixei a Kate me intimidar... não é mesmo? E esses limites suaves, caramba. Confundo a minha cabeça, embora me tranquilize saber que temos que discuti-los.
         Volto para meu quarto. É muito para pensar a respeito. Preciso limpar a cabeça, uma abordagem pela manhã, quando estiver de cabeça fresca para resolver o problema. Guardo os documentos ofensivos na bolsa.
Amanhã... amanhã será outro dia. Meto-me na cama, apago a luz e fico olhando ao teto. Oh, eu queria nunca tê-lo conhecido. Minha deusa interior sacode sua cabeça para mim. Ela e eu sabemos que é mentira. Eu nunca tinha me sentido tão viva.
         Fecho meus olhos e mergulho em um sono profundo com sonhos ocasionais de camas com dossel, envelopes de papel manilha e intensos olhos cinza.
Kate me acorda na manhã seguinte.
         — Ana, eu devo chamar você. Você deve ter sentido frio.
         Meus olhos se negam a abrir-se. Não só se levantou, mas sim, saiu para correr. Dou uma olhada para o despertador. São oito da manhã. Caramba, dormi mais de nove horas.
         — O que foi? — balbucio meio dormindo.
         — Chegou um homem com um pacote para você. Tem que assinar.
         — O que?
         — Vamos. É grande. Parece interessante. — Ela dá pulinhos entusiasmados e volta para a sala de estar. Saio da cama e pego o robe, que está pendurado na porta. Um homem jovem, com um rabo de cavalo, está em pé na nossa sala de estar, segurando uma caixa grande nas mãos.
         — Olá — eu murmuro.
         — Eu vou preparar um chá. — Kate diz, indo para a cozinha.
         — Senhorita Steele?
         E imediatamente sei quem me manda o pacote.
         — Sim, — eu respondo-lhe com receio.
         — Trago um pacote para você, mas tenho que instalá-lo e lhe ensinar a utilizá-lo.
         — Sério? A estas horas?
         — Eu só cumpro ordens, senhora. — Ele me dá um sorriso encantador, mas profissional, como se dissesse: “não me venha com bobagens”.
         Ele acaba de me chamar de "senhora"? Envelheci dez anos em uma noite? Se for assim, é culpa do contrato. Franzo os meus lábios com desgosto.
         — Ok, o que é isso?
         — É um MacBook Pro.
         — É claro que é. — Eu digo, rolando os olhos.
         — Ainda não está nas lojas, senhora. É o último da Apple.
         Por que não me surpreende? Suspiro ruidosamente.
         — Coloque-o aí, na mesa de jantar.
         Vou à cozinha para me juntar a Kate.
         — O que é? — Ela me pergunta curiosa, com os olhos brilhantes. Também, ela dormiu muito bem.
         — Um notebook de Christian.
         — Por que ele mandou um notebook? Sabe que pode utilizar o meu, — ela franze o cenho.
         Não para o que ele tem em mente.
         — Oh, é só um empréstimo. Queria que eu experimentasse isso. — Minha desculpa parece pouco convincente, mas Kate concorda. Oh meu Deus... eu enganei Katherine Kavanagh. Pela primeira vez. Ela me passa uma taça de chá.
         O notebook é brilhante, prateado e bastante bonito. Ele tem uma tela muito grande.
Christian Grey gosta das coisas grandes... Eu penso no lugar onde ele vive, na verdade, na área de seu apartamento.
         — Ele tem o mais recente sistema operacional e um conjunto completo de programas, além de um disco rígido de 1,5 terabytes, assim terá muito espaço, 32 gigas de RAM... Para que vai utilizá-lo?
         — Bem... para mandar e-mails.
         — E-mails! — Ele exclama pasmo, elevando as sobrancelhas, com um olhar um pouco doente no rosto.
— E, talvez, navegar na internet? — acrescento, encolhendo os ombros, quase me desculpando.
         Ele suspira.
         — Bem, este tem pleno acesso sem fio N, e o instalei com as especificações de sua conta. Este bebê está preparado para funcionar, virtualmente, em todo planeta. — Ele me explica, olhando-o com certo desejo.
         — Minha conta?
         — Sua nova conta de e-mail.
         Tenho uma conta de e-mail?
         Ele aponta para um ícone na tela e segue me falando, mas é como ruído branco. Não entendo uma palavra do que diz e, para ser sincera, não me interessa. Só me diga como ligá-lo e desligá-lo... o resto eu descobrirei sozinha. Depois de tudo, tem quatro anos que utilizo o da Kate. Kate assobia impressionada, assim que o vê.
         — É tecnologia de última geração. — Ela levanta as sobrancelhas para mim. — A maioria das mulheres recebem flores ou talvez jóias, — ela diz sugestivamente, tentando conter um sorriso.
         Faço uma careta, mas não posso aguentar séria. Nós duas temos um ataque de risada, o rapaz que mexia no notebook, nos olha perplexo, com a boca aberta. Ele termina e me pede para assinar a folha de entrega.
         Enquanto Kate o acompanha à porta, sento-me com minha taça de chá, abro o programa de correio e descubro que está me esperando um e-mail de Christian. O coração dá um salto. Tenho um email de Christian Grey. Abro-o, nervosa.









 

        
De: Christian Grey
Data: 22 de maio de 2011 23:15
Para: Anastásia Steele
         Assunto: Seu novo ordenador

Querida senhorita Steele:

         Confio que tenha dormido bem. Espero que faça bom uso deste notebook, como comentamos.
         Estou impaciente pelo jantar com você, na quarta-feira.
         Até então, estarei encantado de responder a qualquer pergunta via e-mail, se o desejar.

         Christian Grey
CEO, Grey Participações e Empreendimentos Inc.


 



     Aperto em "Responder".


 


         De: Anastásia Steele
         Data: 23 de maio de 2011 08:20
         Para: Christian Grey
         Assunto: Seu novo computador (em empréstimo)

         Dormi muito bem, obrigado... por alguma estranha razão... Senhor.
         Acreditei entender que o computador era em empréstimo, quer dizer, não é meu.

 Ana

 


Sua resposta chega instantaneamente.


        
 

De: Christian Grey
         Data: 23 de maio de 2011 08:22
         Para: Anastásia Steele
         Assunto: Seu novo computador (em empréstimo)

         O computador é em empréstimo. Indefinidamente, senhorita Steele.
         Observo, pelo seu tom, que andou lendo a documentação que lhe dei.
         Tem alguma pergunta?

          Christian Grey
 CEO, Grey Participações e Empreendimentos Inc.

 

Não posso evitar de sorrir.
 


         De: Anastásia Steele
         Data: 23 de maio de 2011 08:25
         Para: Christian Grey
         Assunto: Mentes inquisitivas

         Tenho muitas perguntas, mas não me parece adequado fazer isso via e-mail, e alguns de nós tem que trabalhar para ganhar a vida.
         Não quero, nem necessito, um computador indefinidamente.
         Até mais tarde. Que tenha um bom dia... Senhor.
         Ana
 


Quase instantaneamente, há uma resposta.
        
 

De: Christian Grey
         Data: 23 de maio de 2011 08:26
         Para: Anastásia Steele
         Assunto: Seu novo computador (de novo em empréstimo)

         Até mais tarde, querida.
         P.S.: Eu também trabalho para ganhar a vida.

         Christian Grey
CEO, Grey Participações e Empreendimentos Inc.
 

         Fecho o computador sorrindo como uma idiota. Como posso resistir ao Christian brincalhão? Vou chegar tarde no trabalho. Bom, é minha última semana... Certamente o senhor e a senhora Clayton farão um pouco de vista grossa. Corro para o banheiro sem poder tirar o sorriso, de orelha a orelha. Ele me mandou e-mails! Sinto-me como uma menina tonta. Todas as angústias pelo contrato, desapareceram. Enquanto lavo o cabelo, tento pensar no que poderia lhe perguntar por e-mail, embora, certamente, estas coisas são melhores para conversar ao vivo. Suponhamos que alguém invada a sua conta... Ruborizo sozinha, só de pensar. Visto-me rapidamente, me despeço de Kate aos gritos e saio para trabalhar, minha última semana no Clayton'S.
José me liga, às onze.
         — Olá, vamos tomar um café?
         Seu tom é o do José de sempre, meu amigo José, não um... como o chamou Christian? Um pretendente. Ugh.
         — Claro. Estou no trabalho. Pode passar por aqui, digamos, às doze?
         — Vejo você então.
         Desligo e volto a repor as brocas e a pensar em Christian Grey e seu contrato.
         José é pontual. Entra na loja saltitando vacilante como um cachorrinho brincalhão de olhos escuros.
         — Ana. — Ele esboça seu deslumbrante sorriso hispano-americano, e eu já não estou mais aborrecida.
         — Olá, José. — Eu o abraço. — Estou morta de fome. Vou dizer à senhora Clayton que estou saindo para comer.
         No caminho da cafeteria, agarro o braço de José. Eu estou tão grata por sua... normalidade. Um amigo que eu conheço e entendo.
         — Ana, — ele murmura, — você me perdoou de verdade?
         — José, você sabe, nunca poderei estar muito tempo zangada contigo.
         Ele sorri.
Estou impaciente para chegar em casa, para ver se tenho algum e-mail de Christian, e possivelmente, possa começar minha pesquisa. Kate saiu, assim ligo o novo computador e abro o programa de correio. É obvio, na caixa de entrada tenho um e-mail do Christian. Quase salto da cadeira de tanta alegria.









 

         De: Christian Grey
         Data: 23 de maio de 2011 17:24
         Para: Anastásia Steele
         Assunto: Trabalhar para ganhar a vida

         Querida senhorita Steele:

         Espero que tenha tido um bom dia no trabalho.
        
Christian Grey
CEO, Grey Participações e Empreendimentos Inc.

 


         Aperto "Responder".
 



         De: Anastásia Steele
         Data: 23 de maio de 2011 17:48
         Para: Christian Grey
         Assunto: Trabalhar para ganhar a vida

         Senhor... Eu tive um dia excelente no trabalho.

         Obrigada.
         Ana
 


De: Christian Grey
         Data: 23 de maio de 2011 17:50
         Para: Anastásia Steele
         Assunto: Ao trabalho!

         Senhorita Steele:

         Alegro-me tanto que tenha tido um dia excelente.
         Enquanto escreve e-mails, não está pesquisando.

Christian Grey
CEO, Grey Participações e Empreendimentos Inc.

 

         De: Anastásia Steele
         Data: 23 de maio de 2011 17:53
         Para: Christian Grey
         Assunto: Aborrecido

         Senhor Grey, pare de me mandar e-mails e poderei começar a fazer minha tarefa.

Eu gostaria de tirar outro A.

         Ana
 


Abraço a mim mesma.

 

         De: Christian Grey
         Data: 23 de maio de 2011 17:55
         Para: Anastásia Steele
         Assunto: Impaciente

Senhorita Steele,

Deixe de me escrever e-mails... e faça a sua tarefa.
         Eu gostaria de lhe dar outro A.
         O primeiro foi muito bem merecido. ;)

Christian Grey
CEO, Grey Participações e Empreendimentos Inc.
 


Christian Grey acaba de me enviar uma piscada... Oh meu. Abro o Google.
 


         De: Anastásia Steele
         Data: 23 de maio de 2011 17:59
         Para: Christian Grey
         Assunto: Investigação na internet

         Senhor Grey,

         O que você sugere que eu coloque no buscador?
 Ana
 

        
De: Christian Grey
         Data: 23 de maio de 2011 18:02
         Para: Anastásia Steele
         Assunto: Investigação na internet

         Senhorita Steele:

         Comece sempre pela Wikipedia.
         Não quero mais e-mails a menos que tenha perguntas.
         Entendido?

         Christian Grey
CEO, Grey Participações e Empreendimentos Inc.

        


De: Anastásia Steele
         Data: 23 de maio de 2011 18:04
         Para: Christian Grey
         Assunto: Autoritário!

         Sim... senhor.
         É muito autoritário.

         Ana

 

        
De: Christian Grey
         Data: 23 de maio de 2011 18:06
         Para: Anastásia Steele
         Assunto: Controlando

         Anastásia, você não imagina quanto.
         Bem, talvez agora faça uma ligeira ideia.
         Faça o trabalho.


         Christian Grey
CEO, Grey Participações e Empreendimentos Inc.
 


Eu teclo “submisso” na Wikipédia.
         Meia hora depois, eu me sinto levemente enjoada e francamente chocada, até o âmago. Eu realmente quero colocar tudo isso na cabeça? Caramba, é isto o que ele faz no Quarto Vermelho da Dor? Sento-me, olhando para a tela, e uma parte de mim, uma parte muito úmida e integrante de mim, que só familiarizei-me muito recentemente, está seriamente ligada. Oh meu, algumas dessas coisas são EXCITANTES. Mas são para mim? Puta merda... eu poderia fazer isso? Eu preciso de espaço. Eu preciso pensar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário